Sistemas para revestimento, gravação e fratura

Para permitir e melhorar a obtenção de imagem das amostras no microscópio eletrônico, elas precisam ser condutoras. Uma gama de técnicas de revestimento pode ser aplicada, dependendo da amostra e de sua preparação para a análise. Desde revestimentos de baixo vácuo em temperatura ambiente até revestimentos de alto vácuo em temperatura criogênica, a Leica Microsystems abrange a mais completa gama de requisitos de revestimento.

Desde revestimentos de baixo vácuo em temperatura ambiente até revestimentos de alto vácuo em temperatura criogênica!

Precisa de assistência?

Em contato com um especialista para ajudar a simplificar o preparação de amostra para microscopia eletrônica.


Revestimento

O revestimento pela criação de uma camada condutora de metal na amostra inibe o acúmulo de carga, reduz o dano térmico e melhora o sinal do elétron secundário, necessário para a avaliação topográfica no SEM. A linha de sistemas de revestimento da Leica Microsystems compreende o sistema de deposição de película a alto vácuo Leica EM ACE600 para análises de alta resolução em FE-SEM e TEM e o sistema de revestimento por pulverização e/ou fio de carbono Leica EM ACE200 como um sistema completamente automatizado para o manuseio rápido, conveniente e intuitivo.

Gravação por congelamento

A gravação por congelamento pode ser obtida após a fratura e fornece mais informações das faces fraturadas pela sublimação sob vácuo das camadas de gelo para expor os elementos celulares que estavam originalmente escondidos. Como um instrumento altamente versátil, o sistema de revestimento criogênico Leica EM ACE900 oferece os melhores resultados para as técnicas de fratura por congelamento e gravação por congelamento para as análises TEM e Cryo SEM.

Fratura por congelamento

Para revelar estruturas internas de uma amostra congelada, pode-se quebrá-la fisicamente para expor as estruturas internas para a análise com microscópio eletrônico. O sistema de revestimento criogênico Leica EM ACE900 eleva a técnica de fratura por congelamento a um novo patamar, com um avançado micrótomo, opções de sombreamento flexíveis com fontes de feixe de elétrons, um estágio criogênico rotativo e um sistema de transferência “carrega-e-trava”. Análises de alta resolução de réplicas no TEM, equipado com o EM VCT500 e a obtenção de imagem da face do bloco no Cryo SEM são resultados dessa técnica. O Leica EM ACE600, equipado com um estágio criogênico e uma conexão VCT500, fornece a solução para fratura por congelamento para refletir a imagem da superfície revelada no Cryo SEM.