Recrutamento de leucócitos para infecção bacteriana

O peixe-zebra se mostrou um importante modelo para estudar a biologia celular da infecção e do citoesqueleto como alvo terapêutico in vivo. É uma plataforma para estudos in vivo revolucionária: tanto de uma única célula ou no animal como um todo. 

O uso de peixe-zebra para estudar a biologia de células infectadas começou no laboratório de Serge Mostowy, que é membro da Wellcome Trust Senior Research, no Centre for Molecular Bacteriology (CMBI) do Infection Medical Research Council (MRC) da Imperial College London. Suas publicações são de grande interesse tanto para biólogos especializados em células quanto infectologistas. 

Um recente estudo in vivo mostra o recrutamento de leucócitos (glóbulos brancos) para a região com infecção bacteriana no rombencéfalo do peixe-zebra foi publicado no site Science Lab da Leica Microsystems. Os microscópios de fluorescência Leica foram usados para processar as imagens dos leucócitos que expressam a GFP (proteína fluorescente verde) e das bactérias (Shigella flexneri ou Mycobacterium marinum) que expressam a mCherry (proteína fluorescente vermelha). Os resultados comprovam que os leucócitos do peixe-zebra são recrutados em quantidade significativa para combater a S. flexneri, mas M. marinum consegue evitar sua detecção. 

Mais detalhes estão disponíveis no artigo

Real Time Observation of Neutrophil White Blood Cell Recruitment to Bacterial Infection In Vivo: A Fluorescence Microscopy Study Using Zebrafish Larvae as the Model Organism

Related Images