Contato
Leica TCS SP5 II Confocal Microscopes Leica Leica Microsystems

O único confocal de banda larga Leica TCS SP5 II

Aquisição de imagens multicoloridas com espécimes integrais

Espécie de Platynereis

Azul: núcleos, DAPI; verde: actina/músculos, TRITC; vermelha: Tubulina, Alexa 633

Cortesia de: Dr. Evgeny Tsitrin, Instituto de Biologia do Desenvolvimento (RAS), Moscou, Rússia

Aquisição e manipulação de imagens com novos componentes ópticos específicos

Os componentes ópticos do Leica TCS SP5 II foram otimizados para aquisição e manipulação de imagens. O expansor de feixe permite alternar entre precisão excepcional e alto poder de branqueamento. Isso significa que não há comprometimento das propriedades ópticas no caso de branqueamento ou de aquisição de imagens.

Aquisição de imagens confocais de alta resolução e alta velocidade

O scanner em tandem Leica combina duas soluções tecnológicas em um só sistema: um sistema de varredura convencional, ideal para aquisição de imagens morfológicas e análises estruturais tridimensionais, e um sistema de varredura ressonante – a melhor solução para aquisição de imagens confocais de alta velocidade.
Mesclando os dois sistemas em um único dispositivo, o TCS SP5 II é a solução ideal para instalações base de aquisição de imagens e outros ambientes multiusuário.

O confocal verdadeiro mais rápido

A eficiência combinada do sistema de detecção Leica SP® e do Leica AOBS® garante menor relação sinal/ruído – o que significa imagens claras e nítidas e mínima fotodegradação durante a aquisição da imagem. A fácil operação e a mínima manutenção poupam tempo e dinheiro, e garantem mais resultados em menos tempo.

Eletrofisiologia com o Leica DM6000 CFS

Pequena rede de neurônios: fatia de cérebro de rato, camada 5. Carregamento do marcador em células únicas por eletroporação.

Carregamento do marcador em células únicas por eletroporação: interneurônios Alexa 594, verde: Oregon Bapta 1 para célula piramidal (sensível a cálcio)

Z = 123 µm; excitação bifotônica; detecção com NDD de 2 canais

Cortesia do Dr. Thomas Nevian, Instituto de Fisiologia, Universidade de Berna, Suíça

Aquisição de imagens de tecido profundo com microscopia multifotônica

Artéria de camundongo: excitação a 839 nm, aquisição em 3 canais: autofluorescência de elastina (azul), Syto13 para núcleos de células da parede vascular (verde/branco), autofluorescência de iosina (vermelho); zoom 1. Profundidade de aquisição de imagens de 650 µm. Preparação: Artérias carótidas primitivas de camundongo são cuidadosamente dissecadas, excisadas e armazenadas em solução salina equilibrada de Hank (HBSS, pH 7,4). Uma única artéria é montada em duas micropipetas de vidro em uma câmara de perfusão de construção própria e gentilmente perfundidas com HBSS para remoção do sangue residual.

A distância entre as pipetas pode ser modificada para ajuste do encurtamento das artérias durante o processo de isolamento. Em seguida, uma pressão transmural de 80 mm Hg é aplicada para imitar uma situação mais fisiológica.

Imagem adquirida com o Leica DM6000 CFS

Cortesia do Dr. Marc van Zandvoort, Biofísica, Universidade de Maastricht, Holanda